COMPARTILHAR

Google muda análise de risco e adota e retira “eu não sou robô”

Essa semana o Google mudou uma de suas políticas de segurança, aquela verificação para saber se você é você mesmo e não um robô.

Isso e possível graças a uma nova tecnologia lançada pela própria empresa, se chama Machine Learning, traduzindo “Aprendendo com máquina” e isso é uma evolução para quem é acostumado com o captcha, aquelas letrinhas difíceis de ler.

Pode parecer recente para algumas pessoas, mas o Captcha é mais antigo do que você pensa, ele surgiu em 1997 para provar que não éramos robôs.

A poucos anos esse formato mudou e passou a se chamar reCaptcha, onde os usuários pediam que pessoas identificassem partes de textos de jornais e livros, esse formato foi comprado pela Google em 2009.

Mas como sabemos que a tecnologia sempre avança, a Google mudou seu padrão para “eu não sou robô”, onde o usuário apenas clicava na caixinha e pronto a verificação era feita.

Isso era possível graças a um sistema que funciona paralelo ao pagina, onde avalia os movimentos do mouse e do teclado, esse método comprovava se você era ou não um robô.

Caso isso não funcionasse, o usuário era convidado a responder algumas perguntas simples, onde deveria identificar alguns padrões nas imagens, como ruas, animais e cores.

Nessa semana foi liberada uma nova atualização desse sistema onde a caixa não é mais necessária, o Google chamou esse novo sistema de “Invisible reCaptcha”.

O sistema segue a mesma regra do seu sucessor, por trás do pagina ele verifica todos os movimentos feito durante a navegação.

Porque mudou?

Os robôs virtuais ganham capacidades diariamente e é possível que alguns respondam os mais diversos tipos de questionários na internet, uma pesquisa feita na Universidade de Columbia, apresentou que 70,8% dos robôs virtuais podem responder aos questionamentos do Google Captcha, isso era um problema.

O Google está apostando na nova análise de risco, se por ventura o sistema desconfiar que é um robô o sistema pedirá que responda aos métodos tradicionais do reCaptcha.

Embora seja curioso o funcionamento do robô invisível, não forma divulgados informações como ele funciona, se leva em consideração dados de navegação anterior, login na conta Google ou outros.

A mudança não significa que Captcha ficou no passado para sempre, já que outros sites não usam a tecnologia do Google, como por exemplo o Facebook.

E você já tentou recuperar uma senha ou passou pelo novo sistema? Conta para gente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor entre com seu nome aqui